terça-feira, 6 de novembro de 2007

Escreves?!


A sério que gostas de cartas? Que bom! Acho bonito que gostes. Eu também gosto, bastante... e já aqui falei delas e expliquei porquê.

Impressionante é o peso que têm... leves, tão leves, e no entanto carregam o peso que pesa o mundo lá dentro. (Sabes, o mundo pesa tudo aquilo que os Homens têm em si)... Emoções, dores, angústias, amizades.... amores... Ai, as cartas de amor! Ainda suspiro pela ideia de (voltar a) receber uma carta de amor!

Gosto que gostes de cartas e até adivinho que adoraria receber uma carta tua porque já percebi que és pessoa de escrever cartas daquelas que pesam. Isto porque as tuas palavras são cheias; têm o peso da humanidade lá dentro!

Um dia desenhas-me a tua morada e eu escrevo-te uma carta. Vai demorar mais a chegar que estas que trocamos mas vai valer a pena! Depois juntas a essas das gavetas e envias-me uma para eu guardar na minha caixinha.

Ainda bem que gostas de cartas! Acho bonito que gostes delas!


Imagem encontrada no Google sem referência ao autor

9 comentários:

barrigagolfinho disse...

Hmmmmmm! Que pena, não sei desenhar! :( Fazer gatafunhos ainda é como o outro, agora desenhar é que não! :)
Bj

Tânia Pereira disse...

Muito bonito sim senhor...aguardam-se cartas.Mas das verdadeiras, com remetente e destinatário, sem RSF, com selo e carimbo dos CTT.

Pedro V. disse...

O "peso" é mais importante do que o tempo, far-te-ei um desenho...

Adriana Afonso disse...

Também eu gosto de cartas...tenho uma lata grande com todas as que recebi até hoje. Às vezes sabe bem reler as palavras de antes, tão inocentes como a criancinha que fui. Hoje o mundo pesa nas cartas, e já carrego comigo parte dele.

Gostei bastante. =) *

Alias disse...

"Cartas de amor, quem as não tem..."
Sendo que agora é tudo muito mais á frente, ele é e-mails e-cards, posts, comments etc...
Mas as cartas, aquelas manuscritas, têm outro sabor.
Aquele papelinho, escrito pela mão daquele alguém especial...isso sim, é que é "á séria".
Beijo

Cata disse...

"ainda suspiro pela ideia..." românticas incuráveis, as cartas de amor!

Oeu ManusDei disse...

o q me irrita nas cartas é mm o carteiro a tocar à porta as ttas da matinas, acordar a malta e dpois vamos ver todos felizes...e sai o Q?

um bilhete do monopolio, assim do genero, va a correr ao MB mais proximo e pago 150€

Anónimo disse...

Não foi carta de amor, mas prococou-me a mesma inquietação. Ouvir-te cantar lembrou-me um pássaro, mas não um pássaro cantando, lembrou-me sim um pássaro voando.

Ana Fonseca disse...

Anónimo: Este foi o comentário mais bonito que alguém me deixou aqui! :) Obrigada!