sábado, 23 de dezembro de 2006

Pés frios


O dia em que, pela primeira vez, pensei que podia amar-te, foi um dia de uma beleza maior que a comum beleza dos dias...
Foi a primeira vez que te sonhei e sonhei-te logo muito porque as realidades não me largam por instantes maiores que os momentos dos sonhos!
O dia em que, pela primeira vez, pensei que poderiam ser os teus pés (e o resto todo de que és feito) a aquecer os meus (e todo o resto que em mim há) tive o calor de já te sentir a aquecê-los! Lembro-me que estava frio na noite desse dia... e eu com os pés quentes de te sonhar...
Agora já não sei dizer se algum dia me aqueceste os pés nestas noites frias... Parece-me que sou sempre eu que os entrelaço um no outro... Assim aquecem... E adormeço sem sonhos!

1 comentário:

Tânia Pereira disse...

Dou-te uma notícia que te vai ajudar...o ser humano sonha todas as noites...e muito!
No dia a seguir é que muitas vezes não nos lembramos...por isso minha querida, os sonhos continuam lá...e os pés também!
Beijos