sexta-feira, 26 de maio de 2006

Presente perfeito


Todos os que acham que a perfeição não existe não sabem o que dizem...
Não conhecem os teus olhos que eu vi ontem a olharem para mim como nunca; não conhecem o teu cheiro que se mistura no ar e se mistura com o meu; não conhecem as tuas mãos que gostam de se passear e não me deixam dormir, nem a maneira como me acolhes e acarinhas; não conhecem o meu quarto quando tu lá estás...
Só eu conheço a perfeição... E ontem tive um encontro com ela...
Sei que era noite, mas havia luz... Como se me tivesses dado o Sol de presente! Mas nem o Sol brilha tanto... Brilhas tu (e brilho eu, um bocadinho, quando estou contigo)...
Presente perfeito és tu!

1 comentário:

Tânia Pereira disse...

Como te entendo... Já tive o prazer de sentir a presença dessa perfeição que se diz não existir. Falsos ou mentirosos ou insensíveis ou ainda não autorizados a sentir-se! Esses que andam desse outro lado da perfeição não alcançável. Esses momentos de pefeição conseguida suportam anos e meses e horas e dias de crença.
Sinto o mesmo que tu e aceito o que sentes como um prémio que dás a quem te lê. Obrigada.