terça-feira, 23 de maio de 2006

Podes sair?


Como teria sido a nossa vida se a coragem não fosse tão adversa aos teus preceitos?
Gostava de te ter conhecido como homem... Isso de seres só um sonho já me farta! Queria era ter conhecido o resto! A parte humana... a que tem defeitos e que faz asneiras e que se engana e que volta a enganar-se!
Para mim és perfeito e és um sonho porque nunca conheci o lado tortuoso de quem és... Desse lado sei apenas que tens medo de coisas, acho que de muitas até, e que não te atreveste a fazer-me real... Não me deixaste nem mostrar-te os meus defeitos... E eu que queria tanto mostrar-tos!
Sinto falta é de falar mal de ti com as minhas amigas, como fazem todas as mulheres que têm os seus homens ao lado! Assim, elas falam mal deles e eu falo bem de ti, nas nossas pequenas tertúlias de chá e bolinhos! Pudera! Não conheço os teus defeitos, não posso falar das tuas manias... Só do que escreves, do que lês e do que me dizes! Só disso... E essa é a parte perfeita! Então fui-te defendendo até agora! Mas acho que já chega... Não te quero também para sonhar... Nunca me ofereceste as rosas... E talvez nem saibas que eram brancas, as que eu queria receber!
Portanto, podes sair, por favor, dos meus sonhos?

8 comentários:

Tânia Pereira disse...

Minha querida, a madrinha ensina! Eles entram e saem dos nossos sonhos sem sequer ter a humildade de pedir com licença. Mandam e desmandam e ainda os defendemos qualleoa a defender a cria. O que fazer? Continuar com as reuniões de chá e bolinhos e sem dúvida, conversar. Quanto ao falar bem ou mal, isso também não interessa nada. Adorei a parte das rosas..é verdade que gostamos sempre daqueles que menos conhecemos e que menos nos conhecem? Não é lindo eu saber que se essa pessoa fosse uma flor ela seria uma rosa branca? E ele não sabe disso?! A amizade cheia de amor sobrevive a qualquer forma de fraco amor (não é para se ler amor fraco!) Fica muito bem e continua a sentir!
Não era este o texto meio ficção pois não?

Ana Fonseca disse...

sim, minha linda... É, pelo menos, ficcionado... Mas é sempre o mundo real que nos inspira... A parte das rosas brancas é verdade... totalmente...

João Barbosa disse...

se o texto for real... emoldura a fotografia dele e depois parte. A moldura e o vidro e rasga a foto. Se for fantasia, manda beijinhos para o ar. Não esperes por ninguém. Tens uma praia tão bonita e há tantos navios naufragados... ainda vai surgir um naufrago que te saberá amar.
beijo

João Barbosa disse...

adoro Sérgio Godinho :-)

Ana Fonseca disse...

Também eu, João! Aliás, também nós, não é Tânia?
Obrigada pelas palavras... aos dois! Mas não há fotos para rasgar! Só beijinhos a mandar ao ar e esperas pelos naufragos de outros navios! Mas eu não tenho pressa! :)

Anónimo disse...

Não esperes por náufragos. A pele vem suja do ar brilhante, as roupas leves de limpeza. Deves querer um pouco de terra.Alguém com um mapa que saiba exactamente onde te levar para te ouvir a sorrir. Gosto de ler as tuas palavras. Há quem te mereça e quem não valha a pena. Tu sabes. Eu sei. Estás quase a fazer aninhos não é? Beijinho

Ana Fonseca disse...

:) Sim, estou! Pelos vistos és um anónimo que me conhece! Porque não assinas?

Estranged disse...

Sou eu, o Ricardo. Não pensei que ficaria anónimo. Acaba por ser irónico.