terça-feira, 23 de maio de 2006

Não sei que pedir


Haveria agora de acontecer qualquer coisa! Gosto da calmaria como da agitação! Agora está tudo calmo por aqui... O mar estava agitado hoje e agitou-me! Apetecia-me nem sei o quê e torna-se mais difícil não saber o que me apetece... Às vezes sabe bem pedir... Como se os pedidos entrassem como realidades por alguma porta que alguém se esqueceu de fechar... Eu, por exemplo, que tanto me esforço por deixar sempre as portas entreabertas!
Não sei bem o que me apetece! E talvez me apeteça apenas verbalizar desejos!
Não sei o que quero, mas quero-me no meio de alguma coisa que não vejo agora à minha volta!
Talvez queira estar no outro lado do mundo, talvez queira estar aqui ao lado...
Apetece-me pedir coisas e não sei que pedir! Mas quanto mais difícil melhor... Nunca fui dada às facilidades...
Alguém me diz que pedir?
Eu depois estendo as mãos...

2 comentários:

Montenegro disse...

Pede um mundo... que certamente alguem estará disposto a dar-te o seu próprio mundo para tu o moldares e adoptares como o teu mundo, também.

Bjs.

Tânia Pereira disse...

O acto de estender as mãos demonstra bem a tua personalidade forte e corajosa. Não é corajoso quem não tem medo mas sim quem não sabe o que vi acontecer e ainda assim arrisca sentir o que vier nesse futuro incerto...