segunda-feira, 16 de abril de 2007

Estranha Primavera


Há qualquer coisa no estranho modo como sopra o vento que me deixa triste... Não vejo nos movimentos das folhas das árvores nada que me faça pensar que os meus sonhos também vão no vento e voam, flutuam nas realidades e misturam-se com elas...

Estranha Primavera... Nada neste vento suave me fala de vontades satisfeitas, como em anos que já foram... Ao contrário; bem ao contrário! Parece querer-me levar os sonhos e as vontades para longe, este vento que me sopra nos cabelos de modo estranho e diferente de outros anos...

Recolho-me a casa e fecho as janelas! Não quero os meus sonhos a voar até parte incerta; recuso-me a perdê-los e prendo-os no momento em que fecho as janelas e as portas de casa e lhes recuso as brisas!

E assim fecho-os a eles... E não sei que fazer, porque me fechei com eles...

Estranha Primavera... quase Outono, quase Inverno...

Imagem encontrada no Google sem referência ao autor

2 comentários:

Cata disse...

Deixa o vento soprar e os sonhos voar... eles saberão encontrar o seu caminho. Não os feches em casa, e não te feches a ti. Leva-os a passear... e leva-te a ti também!

poeta_poente disse...

eu gostava de levar os meus a passear até florianópolis ou qté mesmo Hong Kong... mas o meu sonho está aqui... e às vezes a ele me sinto preso!
Sonhos são sonhos, mas de eles somos feitos... que fazer?! Só nos resta mesmo sonhar... né?