sexta-feira, 19 de janeiro de 2007

Lembrei-me?


Hoje lembrei-me de ti... Sabes lá tu quem és... Nem eu tenho a certeza de sabê-lo... Mas lembrei-me...
Perguntei-me porque não resultou qualquer coisa entre mim e ti e não encontrei nem uma resposta... Pensei nisto em todas as vezes em que me encostei ao balcão daquele bar de desafogos para pedir, mais uma vez, que me enchessem o copo com qualquer coisa que me acordasse... Nunca era café, e eu ía bebendo... acabado o copo, vazio o copo, lá me arrastava vagarosamente... Um pé, depois o outro... e encostada ao balcão vinhas-me tu a perguntar-me "Porquê?!" e eu respondia para mim... "Não sei... Encosto-me aqui e lembro-me de ti.... Já nem sei ao que me sabem os teus lábios mas apetecem-me..." Depois perguntam-me o que quero... respondo vagamente "enche.... enche..." e dou o copo como se desse o meu coração pronto como um balão vazio a ser soprado de amores... Lembro-me de ti naquele balcão vazio... Nunca lá me encostei contigo... E já nem sei ao que sabes, mas queria lembrar-me! Enches-me, se faz favor, devagarinho e com cuidado...?


Imagem encontrada no Google sem referência ao autor

4 comentários:

Lia disse...

adorei!! mas fiquei preocupada... enquanto escutava esta linhas, imaginava-te completamente alcoólica,encostada a qualquer um balcão dessa cidade, redopiando de bar em bar, primeiro de copo na mão e depois de garrafa...

Ana Fonseca disse...

As fantasias e as ficções não precisam de preocupações... :) Beijinhos para ti, minha linda!

Tânia Pereira disse...

Quando se enche assim "se faz favor devagarinho e com cuidado" nós recusamos muito delicadamente o próximo copo: "ah pois! não quero mais, deixa lá obrigada, já bebi o suficiente!!"
Nós queremos que nos encham e sem pedir licença, com cuidado mas que nos deixem a transbordar de sentimentos para dar mais e a mais ...
As amnésias fazem parte e vêm com o pacote...se nos lembramos de todos os pormenores é porque os olhos não eram brilhantes o suficiente para nos manterem quase surdas à conversa, quase cegas porque os lábio chamam mais do que aquilo que dizem...enfim...lembrar-me de ti? DE outrém? Para quê? SEntir-te a ti e a outrém isso sim. Quando se sente a recordação e a lembrança de alguém que já nos transbordou..é bom, reconforta saber que já auferimos aguma felicidade, mesmo que não agora!.

Hoje bebemos um penaltie em honra de transbordo de sentimentos!!!

João Barbosa disse...

:-)