terça-feira, 29 de agosto de 2006

Eu vi-te!


Vi-te e nem te acenei... Não gritei o teu nome para que olhasses para mim, até porque estavas tão perto que bastava falar baixinho que me ouvias...
Vi-te e nem te chamei! Baixei a cabeça e comecei a escrever-te como se algum dia fosses ler o que escrevo para nunca te entregar!
Vi-te e não disse nada... Calei-me e fiz-me pequenina... Encolhi-me toda a escrever-te as coisas que não te digo e não te chamei para as poder dizer...
Foi assim porque me senti a mais... Havia ali demasiado do teu mundo para onde nunca me levarás... Por isso, apenas te vi e não te gritei, nem te chamei, nem tampouco te acenei...
Não sei se me viste... No embrulho escondido em que me transformei, não havia espaço nem para um olhar de soslaio...Mas se me viste também tu não gritaste, nem me chamaste, nem tampouco me acenaste...
Viste-me? Conseguiste perceber que aquele embrulho pequenino que tremia era eu?

6 comentários:

Luisa Fonseca disse...

Quando assim acontece é sinal que está na hora de arrumar a casa. Aquilo em que não queremos mexer,que nos doi quando lhe tocamos, se não pudermos deitar fora, devemos arrumar num cantinho lá bem no fundo do sotão. Depois das arrumações feitas, tomar um bom banho, de modo a que possa sair pela pia abaixo, algum resquiçio do que deixámos lá bem guardadinho e depois vestir o nosso melhor sorriso e sair à rua, com os olhos bem abertos para a vida.
Beijinhos

Tânia Pereira disse...

A tua mãe é demais!!!Lindo conselho e vindo de quem conhece a vida e em quem se pode confiar, ainda melhor!
Encontraste a fotografia, a tua persistência é uma característica tua, por isso usa-a, não como teimosia mas sim como elemento que te dá força para continuares assim, forte e bonita. Não és um embrulho e muito menos daqueles amarrotados que depois se atiram para um canto, não te encolhas...por favor, tu não!
Sempre te mostraste uma mulher bonita, para a pessoa em causa também. SE ele não te quer no mundo dele, mais uma vez és tu a tomar essa decisão difícil que no fundo só é: ou te contentas com os momentos em que têm e estão no vosso mundo (dos dois)ou não te contentas porque mereces mais do que isso e não te ficará mal sentir essa exigência.
Embrulho a um canto e encolhida, não não Fonsequinha!!!

A Semi Santa disse...

Tu es LINDA...nao te entendo!!!

João Barbosa disse...

pega lá um beijinho

Ana Fonseca disse...

Mãe: Adorei a parte do "vestir o nosso melhor sorriso!" Vou já vestir o meu!

Tânia: Tens razão... Acho que me tenho contentado com muito pouco... Eu, para quem sempre o muito nunca chegou! Mas aquele pouco foi sempre tão...

Semi Santa: Obrigada! :) Isto passa, não te preocupes! Beijinhos

Joãozinho: Agarrei o beijinho! Obrigada!

Nuno Martins disse...

Veste lá esse sorriso lindo!! Não te quero ver embrulhada (pois não precisas disso) e amarrotada muito menos!!
Toca a levantar a moral pois tu és Grande e Linda!!!

mil beijos