domingo, 28 de maio de 2006

Estás triste...


Andas por aí aos tombos e eu bem que te dava a mão se a quisesses... Já vou conhecendo os teus caminhos percorridos, se bem que há muitos silêncios e não me contas tudo! Não contas porque não queres falar dessas coisas que te doem e te fazem andar por aí meio caído...
Dava-te a mão de bom grado se a aceitasses, mas sabes tão bem como eu que não posso erguer-te sozinha! Tens que ser tu a levantar os pesos todos do teu mundo que carregas nos ombros... Qualquer dia têm marcas, os teus ombros! Tens por aí peso a mais!
Eu estou aqui pronta a lançar-te as mãos e emprestar-te os ombros... Dividiamos os pesos (os teus e os meus) e seria bonito!
Não tenho a mão estendida para te levantar porque não pedes! Se pedisses eu dava-te! Mas só se pedires, porque sei que não a queres de oferta...
Assim andas por aí aos tombos... estás triste (e eu também!)...

4 comentários:

Montenegro disse...

Só de saber que tem umas mãos como as tuas para ajudar a erguer-se já devia ser razão mais que suficiente para essa pessoa esquecer tristezas... ;)

Bjs.

Tânia Pereira disse...

As tristezas não se esquecem para fazer um favor aos outros mas sim a nós mesmos e a pessoa em causa já mostrou que não anda muito preocupada consigo..mas também não anda muito preocupado com o teu coração pois não Ana? Se calhar é melhor começares tu a preocupares-te!? Já sei, conversa de madrinha preocupada. Enquanto sentires...vai em frente! Se caíres, tens aqui mãos estendidas também para ti.
Bjo

Tânia Pereira disse...

Volto a este post para pedir desculpa à dona da praia. Às vezes a razão está a dormir tão bem que deixa o coração andar aí a galopar no peito de alguém como um maluco e depois dão-se estes excessos de liberdade.
O que eu queria mesmo era proteger-te e não tenho esse direito. Assim como tem que ser ele a dizer que a ajuda de que precisa também pode vir de ti, também tu sabes como salvaguardar esse coração (de manteiga mas com sal e pimenta e muita força). Portanto apresento as minhas desculpas e não fiques triste.

Ana Fonseca disse...

:) Obrigada!