quarta-feira, 4 de junho de 2008

Último Adeus


Finalmente as coisas tomam o seu rumo de deixarem as intermitências entre o ter-te e o não te ter (ter-te - não te ter; ter-te - não te ter; ter-te - não te ter...)
Por mais tempo que ainda falte, percebem-se as coisas a acontecer e o caminho a encaminhar-se para o dia em que chegaremos finalmente onde queremos (a Casa!).
Que bom que é saber que nos despedimos das despedidas! Que nos despedimos com este último 'até já' que, mais uma vez, provocou esta intermitência de deixar de te ter (enquanto não te tenho sem intermitências).
Já fizemos, juntos, a despedida das despedidas, e agora, por mais que o tempo pareça demorar-se (se parece!!!!), sabemos que depois deste último adeus, já não virão outros que nos roubem a este Nós que, cheio de paciências, tem esperado pelos dias sem distâncias pelo meio.
Aguardo o futuro sem intermitências, aquele onde os teus braços não me vão fugir, nem os teus beijos desaparecer-me dos lábios. Já falta tão pouco...
Pensando bem, este último adeus já soube a regresso... Porque, juntos, nos despedimos das despedidas!

7 comentários:

Anónimo disse...

LINDO

Pedro disse...

http://www.youtube.com/watch?v=gzxVBXCP1jg&feature=related

Chega!

Pedro disse...

Quatro vezes Zerímetros igual a Oito (ou mais) :)

Alias disse...

É muito bem sim senhor. =)

L.F. disse...

Que lindo!

É tão bom sentir que chegam ao fim as despedidas!
Com emoção vieram-me à lembrança outros tempos em que também eu sonhava despedir-me para todo o sempre das despedidas.
E despedi-me, pelo menos daquelas que cabiam nesta dimensão.

Beijinhos e um mar de felicidades

tonsdeazul disse...

Haverá sempre outras despedidas...
Haverá sempre outras chegadas...
Haverá sempre abraços e beijos...
Porque haverá sempre outras despedidas...
E outras chegadas...

DRACULEA Café Bar - The Devil's Den disse...

"A superficialidade líquida do espelho
Reflecte para a menina dos olhos
De quem, do outro lado da ausência,
Acena as mãos em sinal de adeus."