sexta-feira, 30 de Maio de 2008

Sonhar(-nos)


Sempre fui de sonhar muito... Com cenários, com momentos, com pequenices que costumava chamar 'pormenores de perfeição'... Sempre fui de acreditar que os sonhos que tinha acordada eram uma outra maneira, mais bonita, de chamar os projectos e fui sempre, sempre, de tentar puxar à realidade as coisas que ía sonhando. Assim, as coisas lá íam acontecendo e eu ficava contente porque misturava este jeito de sonhar com esta mania que eu tenho de querer viver a vida.
O meu amor também é de sonhos... Gosto que ele seja assim sonhador de possibilidades, de coisas grandes e pequeninas. Gosto que ele sonhe e gosto muito de sonhar com ele. Por vezes passamos horas seguidas a ser sonhadores juntos (Que bom!)...
Ainda assim, mesmo sendo sonhadora desde sempre, hoje percebo que nunca consegui sonhar a perfeição, mesmo quando pensava sonhá-la... por maior que me parecesse o sonho, foi sempre mais pequeno que esta realidade de te ter encontrado (e tu a mim) e de viver esta vida acordada e ao teu lado.
Pensei que sonhava o mundo quando me sonhava a mim... Mas só comecei a sonhá-lo quando sonhei o Nós.

Foto de Claude Tenot

2 comentários:

Pedro V. disse...

Encontrei-a! A realidade com que eu não ousei sonhar!
“Vê lá… se a idealizas demais arriscas-te a nunca ser feliz com ninguém!” (excerto de um diálogo interno, inúmeras vezes repetido em tom de “quem te avisa teu amigo é”)
Pois bem! Estavas enganada, ó vozinha cautelosa! Não só a encontrei, como me apercebo, a cada dia, que a minha capacidade de idealização era bastante limitada. Há enganos que valem por mil acertos :)

Pedro disse...

P.S. - Adoro sonhamar com ela de pernas para o ar...