segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Estremeço


Por ti, estremeço! Que delícia, este estremecer! E é um sobressalto que me assalta de cada vez que me trespassa nem que seja apenas a ideia de que existes no mundo e existes em mim... Um súbito abalo de terra que me faz olhar ao redor apenas para perceber que nada treme à minha volta sem ser eu.
Por ti estremeço e, no entanto, há uma calmaria neste meu gostar de ti... Como se o mar de Verão fosse a imagem das certezas de te gostar... Aquela calma das conversas que não se servem de palavras para acontecer e dos silêncios confortáveis e apetecíveis...
Por ti estremeço... Mas estremeço e nada se destrói, nada se parte, nada cai ao chão... Tudo se constrói e orienta num só sentido... Aquele que é o de me deixar feliz, calma e sobressaltada quase, quase, ao mesmo tempo...
Entre calmarias e este estremecer que eu tenho de gostar de ti, corro os dias com a felicidade e a satisfação e o prazer estampados no rosto e não há quem não os veja.
Que delícia, este estremecer...

2 comentários:

Pedro V. disse...

Diz que um tremor de terra é um “fenómeno natural resultante de uma vibração mais ou menos violenta da crosta terrestre, devido ao ajustamento súbito de rochas sob pressão” (1) e que “as vibrações por eles produzidas podem durar desde poucos segundos a alguns minutos.” (2)

Isto sim! Isto é algo que eu consigo apreender sob a forma de palavras e conceitos. Agora este estremecer de que tu falas, e que também teima em me surpreender, é algo que me ultrapassa. É algo que me desalinha e que me deixa perdido.

Mas ainda bem! Ainda bem que este estremecer é maior que as palavras e que os conceitos. Ainda bem que não cabe em caixinhas nem gavetas. Ainda bem que este estremecer é a prova viva da falsidade das cartas topográficas. Ainda bem que está cheio de sol e que nos leva para um (outro) mundo… ainda bem!

(1) e (2) in “http://www.cm-cascais.pt/Cascais/Viver/Proteccao_civil/Saiba_Como_Proceder/Sismos.htm”

L.F. disse...

É assim o amor! Um misto de acalmia e agitação, regadas tantas vezes por lágrimas de emoção, que quando secam nos deixam no rosto um brilho radioso, que contagia quem nos cerca.
Que esse "estremecer" perdure.

Sê feliz!

Beijinhos