segunda-feira, 11 de setembro de 2006

Eu e a Solidão


Vivo aqui sozinha... Esperei tanto tempo por um espaço onde pudesse arrastar os amantes e agora, que vivo aqui sozinha, não tenho amantes para chamar...
Queria chamar algum para que dançasse comigo, ou para que se risse comigo, ou para que me mimasse ou ainda para me dar prazeres dos mais carnais... Não tenho quem chamar... Foram-se os amantes que chamaria e fica apenas o espaço deles que a Solidão ocupou...
Faz-me companhia a Solidão! Vive aqui comigo, neste espaço sonhado para ser terra de amores e de paixões! Faz-me companhia e ouve-me as conversas, intromete-se em tudo e, às vezes, senta-se a ver-me chorar sonhos perdidos... Jogamos às cartas, às vezes! Cartas de Tarôt que não sabemos ler e inventamos histórias e futuros para nós... Futuros onde à minha casa voltem os amantes! Futuros onde ela possa não ser sempre tão sozinha... como se isso fosse permitido à Solidão...

11 comentários:

A Semi Santa disse...

Antes só, que mal acompanhada!!!
em relação aos amantes...bem se forem bons...senão,a solidão é uma boa companhia, ás vezes faz e sabe bem.
Os sonhos não passam de sonhos, e ke tal criarmos objectivos???uma pekena meta a atingir, nada se consegue sem sofrimento -sangue suor e lagrimas-, e no final a vitoria ainda sabe melhor.

Tânia Pereira disse...

Quem diz que a solidão às vezes sabe bem...não se refere à solidão mas sim ao estar sozinha que sabe bem porque assim se quer estar. A solidão é uma amiga muito próxima da morte e têm as duas combinado que nunca avisam da sua chegada e nem da sua capacidade de serem completamente inconvenientes nos momentos em que escolhem aparecer, sempre sem baterem à porta. Faz parte do estar vivo? Não sei. Sei que sei muito bem o que é querer estar sozinha e o que é querer estar acompanhada e ver-me ali estendida e sentida a um abandono que não escolhi ou desejei. A solidão é o motio de muitas mortes e suicídios, há milhares de pessoas que há anos que não sabem o que é falar ou ver alguém que não esteja dentro de uma caixa chamada televisão. Também é um fruto da sociedade em que vivemos e infelizmente das grandes cidades...Mas, para não ser tudo muito drástico, a solidão também é muito inspiradora e uma das provas está aqui no texto da Ana. Com a sua capacidade de escrita até faz parecer uma coisa não muito desagradável...não devemos ter medo da solidão porque senão ela ganha tamanho e nome. Devemos respeitá-la como a nós e saber viver com ela. Obrigada pelo texto, desculpa o comentário excessivamente longo e depressivo mas revi-me em muito...

Nuno Martins disse...

Gostei do texto, e também não gosto da solidão, mas de vez em quando faz bem estarmos com ela para darmos mais valores a outras coisas.
Eu não jogo às cartas com ela (pois não gosto de cartas) mas tento sempre animá-la para que ela deixe de ser solitária...

mil beijos

Noa disse...

Adorei o texto. Tb não gosto da solidão. E existem vários tipos. Até a solidão a dois, que acho, deve ser a pior.
Bjks

Ana Fonseca disse...

Para que se esclareça, eu não me sinto sozinha... por muito que esteja muito tempo sem companhia! A solidão, realmente, não é só, não ter ninguém, é um sentimento que vem de nós, não apenas da falta do outro! Mas não se preocupem... Nem sempre têm que ser reais, as minhas palavras e apeteceu-me escrever sobre isto.

Semi-santa: Tens toda a razão... em tudo o que dizes! beijinhos para ti (gosto muito de te ver por aqui a passear e a deixar pegadas!)

Tânia: Gostei muito do teu comentário! E apetece-me mandar-te beijinhos grandes para te fazerem muita companhia!

Martins: acho que ninguém gosta da Solidão... coitadinha! Vamos mandar-lhe beijinhos! :*******

Noa: gostei de teres trazido a lume esse tópico da solidão a dois... Apeteceu-me escrever sobre isso...

Filipa Ramos disse...

Gostei muito da forma como abordas-te o tema “solidão”.
A solidão consome o ser humano por dentro… muitas vezes estamos rodeados de pessoas e só desejávamos ter uns minutos para ficarmos a sós com os nossos pensamentos, no entanto quando ficamos sós, começamos a sentir os efeitos devastadores que a solidão provoca no ser humano… mas será que fazemos tudo aquilo que está ao nosso alcance para combatermos a solidão??? Esta é uma pergunta que faço vezes sem conta…
Quantos aos amantes e amores…penso que a nossa vida amorosa passa por 3 ciclos: A altura em que sonhamos com o homem dos nossos sonhos, a altura em encontramos e vivemos o nosso sonho e a altura em que o nosso sonho termina e escrevemos o amor vivido no livro das nossas memórias.

Filipa Ramos

gi disse...

Só no meio da multidão, é como tu dizes um sentimento que está dentro de nós, que vem de nós...gostei-me muito do teu texto, como sempre. ;)

alfacinha disse...

q belo pedaço d escrita :)

Anónimo disse...

adoro os teus textos a sério que sim....

Ana Fonseca disse...

Filipa: Que bom ver-te a passear aqui pela minha prainha! Quanto ao resto... Eu acho que a solidão que sentimos parte de nós, como tal, também passa por nós deixarmos de nos sentir sozinhos... Mas... Que fazer para deixar de a sentir quando a vemos entranhada em nós?

Gi: Obrigada! Beijinhos para ti!

Alfacinha: Que querida! Também tu me tens oferecido bons momentos com as tuas palavras... :)

Anónimo(a): Obrigada! Que boas de ler, as tuas palavras...

calvin disse...

Lindo!