segunda-feira, 18 de setembro de 2006

Calem-me!


Estou farta de falar e não me deixam estar calada! O que me apetecia era calar-me e a toda a hora me chamam e me perguntam coisas a que não posso não responder!
Quero fechar a boca! Fechada! Não a quero abrir para falar! Que a minha boca se abra apenas para comer e cantar, porque cantar não me cansa... Não me cansa nada! Se quiserem também vocês calar-se para me ouvir, que esteja eu a cantar!
Mas para conversas, não estou! Quer dizer, sou obrigada a estar, mas não me apetecia nada...
Alguém que me cale?... Há por aí alguém que me obrigue a calar?! Porque é que ninguém me cala e toda a gente teima em fazer-me falar?!

15 comentários:

Tânia Pereira disse...

Agora que está explicado...agora acho que não deves estar muito calada. Usa os dias de folga para te calares e que de resto continues a falar porque é bom e gostamos de ouvir a tua voz. Se não for a falar, que seja a cantar! É isso! canta e espanta os males...

Montenegro disse...

Caaaaaaaaaaaaaaaaaaala-te!!!

(ao tempo que já não oiço isto... hehehe)

Bjs

gi disse...

Cala-te, mas continua a escrever, ok?
Aqui a malta gosta ;)

Zeca disse...

Ia escrever exactamente o que a "gi" pensou, mas acrescento, não te cales a escrever.
Por agora vais estar nos meus corredores.
Fica bem

Ana Fonseca disse...

Gi: ok, ok! vou ver se continuo! obrigada e beijinhos

Zeca: obrigada, és sempre bem vindo a esta praia e a deixar as pegadas que te apetecer!

Louco de Lisboa disse...

Venho do corredor do Zeca, gostei muito de te ler, achei por bem vir dizer-te... o silêncio aleija-me, por isso não calei!!

Até outro instante...

João Barbosa disse...

:-)

Margarida disse...

Obrigada pelo link, Ana. Curiosa como sou, vim folhear o blogue e gostei de cá estar. Sinto-me em casa, na companhia de Kafka, dos Clã,dos excelentes textos e imagens. Vou avisando que sou como aquelas primas melgas que vêm por uns dias e nunca mais desamparam a loja...

Beijinho!

M.C.T.F disse...

.....
Calaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa-te!
(isto faz sempre falta)

alfacinha disse...

até te podes calar, mas n deixes de escrever q a malta é fã das tuas palavras
bjinhos

Betty Branco Martins disse...

Querida Ana

Estou de volta!

Pois que nunca te cales - a não ser que o queiras, mas principalmente não deixes de escrever!

Beijinhos

Ramanefer disse...

Cantar é uma forma de curar as feridas da alma, tal como escrever...

gi disse...

Então Ana, o k se passa? Continuas calada? Cada vez que aqui venho dou de caras com o mesmo texto...Já chega de silêncio, vamos embora rapariga...toca a escrever, aquelas coisas que tu tão bem escreves...fico ansiosamente à espera. :)

Ana Fonseca disse...

Louco de Lisboa: Que prazer receber-te por aqui! Obrigada pelo comentário e, tens razão... Não devemos calar-nos! :)

Joãozinho: sorrisos, muitos sorrisos para ti também!

Margarida: Passeia-te à vontade! Sente-te nesta praia, como em tua casa!

MCTF: pois, pois! Já estava à espera dessa!

Alafacinha: Isto andou mau de inspiração e de tempo, mas aprece que voltei! Obrigada pela força! Beijinhos

Betty: Estou de volta, também!

Ramanefer: Concordo! Sábias palavras! Beijinhos para ti e que bom ver-te nesta praia!

Gi: Voltei!

Cláudia Bettencourt disse...

Não te cales...gosto muito de te ouvir...beijos!